+55 11 5555-3372

info@buenoecastro.tax

Leonardo Castro conversa com JOTA sobre tributação de contratos de Cost-Sharing Internacionais

O sócio Leonardo Castro conversou com o JOTA sobre a solução de consulta 276/2019, publicada pela Receita Federal em outubro de 2019, na qual entendeu pela incidência do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), CIDE-Royalties, PIS-Importação e Cofins-Importação sobre contratos internacionais de compartilhamento ou rateio de custos e despesas, também conhecidos como cost sharing agreements.

Para Leonardo, a solução de consulta da Receita Federal faz, na prática, com que as matrizes brasileiras sejam quase sempre excluídas de políticas e ações globais das multinacionais relacionadas a esse tipo de prática, extremamente comum nos países da OCDE. 

“Um grupo americano ou alemão faz uma política de cost sharing internacional para todos, menos para o Brasil, que fica de fora por causa da tributação. Isso, na verdade, não era para ser tributado porque é apenas uma recomposição de custo, e não um acréscimo patrimonial.”

“O Brasil fica como um outsider e fora das políticas globais”, explica Leonardo. 

Confira a matéria completa.